quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

2009

Para o próximo ano desejo que os momentos de felicidade sejam mais que os que de tristeza. Um beijo grande para todas.

domingo, 28 de dezembro de 2008

Natal e doenças...

Este Natal correu bem, não fosse o João ter ficado novamente doente. Está com mais uma bronquiolite, que lhe tem provocado febres e muito mal estar. O que me sossega é que sempre que não tem febre está com uma energia inesgotável. Mas voltando ao Natal, foi uma semana bem passada junto da minha família, mataram-se saudades, comeu-se mais que a conta, o meu filho andou encantado e também encantou toda a gente. Como seria de esperar as prendas que recebeu foram muitas, demasiadas até, mas ninguém resistiu a presentear o benjamim da família. Infelizmente, e julgo eu, à conta do calor de uma lareira, na véspera do Natal o João começou a ficar ranhoca, a seguir veio a tosse, e claro que com ela, a febre. Regressámos ontem, o João já está a ser medicado e hoje já se encontrava melhor. Já me esquecia, ontem acordei e quando olho para a janela, caíam flocos de neve do céu. As saudades que tinha de ver neve....

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Feliz Natal

Um Santo Natal para toda a gente que por aqui passa.

sábado, 20 de dezembro de 2008

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Post 10 em 1

Dada a falta de tempo, e uma vez que arranjei uns minutos para aqui vir, vou tentar "complilar" num só post diversos assuntos. Em primeiro lugar o meu lindo filho, que felizmente já está recuperado, na quinta feira ficou comigo, na sexta com o pai e com o fim de semana caseiro, foi-se a tosse, a ranhoca e a má disposição. Voltarei mais à frente ao meu filho.

Quanto a mim, cá ando nesta vidinha de trabalho-para-pagar-contas e pouco mais, mas enfim é a crise...
Este fim de semana andei estranha, nervosa, irritadiça impaciente, "acelerada". Atribui a culpa aos cafés que tomei (à conta da Nespresso que a minha querida mãe me ofereceu), pois não encontrava outro motivo para assim estar. Ontem, depois de deixar o meu filho no infantário, só porque não conseguia fixar o GPS no vidro do carro tive um ataque de fúria e desatei ao gritos, parecia uma louca. Só faltou sair do carro, atirar com o aparelho ao chão e saltar-lhe em cima até ele ficar em cacos (felizmente não o fiz, pois o pobre não tinha culpa nenhuma e tem-se revelado um fiel amigo na estrada). À tarde fui a uma consulta de clínica geral para iniciar o que vulgarmente se designa como o "desmame" dos antidepressivos que ando a tomar. Sinto-me bem, estou mais gorda 3 quilos, logo acho que está na altura de parar. No meio da consulta fez-se luz na minha cabeça e questionei o médico se o facto de não andar a tomar um dos medicamentos há cindo dias, poderia estar relacionado com os meus ataques de fúria. O homem olhou para mim com ar de dahh!! e claro que me "deu na cabeça". Pois é, na semana passada o medicamento acabou e eu, por falta de tempo, fui adiando a sua compra e o resultado foi este!!! Moral da história, os antidepressivos criam habituação e não convém mesmo deixar de os tomar de repente.

Depois deste triste episódio volto ao meu filho. E agora vão-me desculpar, mas por breves linhas vou ser uma verdadeira mãe gabarolas!!! Fisicamente o meu filho é lindo, e não é por ser meu filho que é lindo, lol. É meigo, não posso dizer que seja dado a grandes manifestações de afecto, mas ultimamente tem-me surpreendido com umas beijocas valentes na boca, agarra-me na cara com as duas mãozitas e chuap, beijo na mamã. É muito autónomo em algumas coisas, gosta de comer pela sua mão e irrita-se quando lhe tento dar. Sobe as escadas sozinho e se o tento amparar, afasta-me as mãos. Mas por outro lado detesta estar sozinho, detesta brincar sozinho, quer sempre que eu ou o pai, estejamos com ele a brincar. Quando isso não acontece, pede a xuxa e o leão e põe um ar de triste bebé abandonado, lol. Tem sentido de humor, de vez em quando finge que está zangado ou finge que está triste e de repente desata a rir. Sé para terem uma ideia da "peça", no Domingo enquanto brincava com ele, levo a mão ao cabelo e descubro umas ranhocas. Comento com o meu marido em tom de queixa o facto do João limpar o nariz no meu cabelo. De repente o meu filho põe o dedo no nariz e ... encosta-o ao meu cabelo ao mesmo tempo que se ri.
É muito perspicaz, está sempre atento aos pormenores e tem uma memória prodigiosa. Aqui em casa é ele que liga os aparelho de ar condicionado, vai a cada um dos compartimentos, pega no comando, carrega no botão e "já tá". Ninguém lhe ensinou mas sempre que o fazíamos ficava atento. Ontem, quando chegámos ao infantário apontou para a portão e disse: "mamã olha" , eu olhei mas não vi nada, perguntei-lhe se havia algo de diferente e ele acenou com a cabeça que sim. Não liguei. No regresso, ao fechar o portão, descobri o que estava diferente: tinham colocado puxadores. Fiquei pasma, e não é que o miúdo se apercebeu de imediato da mudança?
Por hoje chega de gabarolices de mãe, a quem aqui chegou peço desculpa pelo testamento e pela má escrita, mas amanhã vou ter um dia comprido e já não tenho tempo para rever o que escrevi.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

O Inverno está a chegar

E com ele as bronquiolites. Estou com o coração apertado, o cenário do ano passado passa pela minha cabeça e não há modo de o conseguir afastar. Hoje tive quase um ataque de pânico, quando pela manhã senti a respiração do meu filho ofegante e arrastada. Deixei-o no infantário lavada em lágrimas, não tinha alternativa e como não tinha febre decidi levá-lo. Ao final do dia levei-o à ginástica respiratória, vai fazer Atrovent e Ventilan de seis em seis horas. Agora quando o deitei estava com febre, 38,1º , dei-lhe o ben-u-ron. Acho que não vou conseguir dormir... Em relação ao dia de amanhã, que se lixem os compromissos, o trabalho e as obrigações, fica comigo em casa e ponto final.

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Pergunta que me tenho colocado

Se sei que não tenho condições para ter mais filhos, se está praticamente fora de questão isso vir acontecer, porque é que ao fazer o novo seguro de saúde decidi incluir o parto? Não tem lógica, pois não?

Post telegrama

Estou viva. Cansada. Cheia de trabalho. Com pouco (ou quase nenhum) tempo livre. Tenho saudades da blogosfera. Tenho saudades de vos acompanhar com mais regularidade. O meu filho está um espectáculo. Cada dia mais lindo. Já diz muitas palavras. A maior parte perceptível só por mim. Está quase, quase a fazer dois anos. Espero voltar em breve, muito em breve. Não se esqueçam de mim.